Hoje em dia, o Score Baixo é um dos principais motivos que dificulta na hora de conseguir um cartão de crédito ou contratar qualquer produto ou serviço financeiro. A pontuação é gerada pelas agências de proteção ao crédito como o SCPC e a SERASA. Quanto mais baixa a pontuação, maiores as chances do consumidor se tornar inadimplente e, consequentemente, mais difícil será para conseguir crédito.

O fato é que existem consumidores muito endividados que possuem uma ótima pontuação. Assim como existem excelentes consumidores que pagam tudo à vista e, mesmo assim, tem uma pontuação baixíssima no score de crédito. A pontuação de risco pode influenciar até na taxa de juros que o consumidor consegue junto aos bancos e financeiras.

Obs: O cliente que tem o score alto é disputado pelas empresas, daí o interesse.

1 – Pagar suas contas em dia aumenta o Score.

Quem não paga as contas em dia acaba sendo prejudico pelo score. Quando mais o cliente atrasa os pagamentos, maior é o risco eminente sentido pelos órgãos de proteção ao crédito. Pagar atrasado pode ser um sinal da saúde financeira do consumidor pessoa física. O ideal é sempre pagar até a data de vencimento e, quando possível, antes. Ao pagar após o vencimento, além de diminuir a sua pontuação, você ainda corre o risco de ter que pagar juros, IOF e vários encargos por atraso na fatura subsequente. DICA: Para evitar que atrase os seus pagamentos, recomendamos que sempre peça sua fatura online ou se possível cadastrar o pagamento de suas contas e faturas de cartão de crédito em débito automático.

2 – Quitar dívidas que já caducaram. 

No Brasil o tempo máximo que uma dívida pode ficar listada nos órgãos de proteção ao crédito são 5 (cinco) anos, após esse período as dívidas caducam. Caso tenha alguma dívida que já prescreveu, nossa dica é para que negocie a dívida com o credor. Infelizmente as empresas de proteção ao crédito sabem que uma dívida saiu do SCPC e SERASA porque prescreveu e não porque foi quitada. Isso acaba sendo levado em conta na hora de fazer o cálculo da pontuação de risco. Há clientes que mesmo com o nome limpo não conseguem crédito aprovado em nenhum lugar. O culpado é sempre a baixa da pontuação no Score de Crédito.

3 – Fazer um Cadastro Positivo.

O cadastro positivo é uma novidade que pode melhorar o histórico de crédito do consumidor. Nele são listadas todas as contas que o cidadão pagou em dia, ou seja, a pessoa fica com um histórico positivo para ser analisado sempre que alguém consulta o seu CPF (Cadastro de Pessoa Física). Na prática as empresas que consultarem o seu CPF terão informações positivas que podem ajudar na hora da análise de crédito. Só recomendamos o cadastro positivo aos consumidores que sempre pagam suas contas em dia, caso contrário esse cadastro pode ser negativo.

4 – Atualizar os dados cadastrais na Serasa.

As empresas de proteção ao crédito guardam o seu nome, data de nascimento, telefones de conta e endereços. Caso seus dados estejam desatualizados, isso poderá dificultar a concessão de crédito. Se mudou de endereço recentemente, vá até uma agência de proteção ao crédito e solicite a ficha de atualização de dados cadastrais. Fazendo isso você manterá seus dados atualizados. Quando uma empresa consulta seu CPF verá que o seu telefone e endereço são compatíveis com o que informou para tentar obter crédito, o que aumenta a confiabilidade do cadastro no momento da análise de crédito.

5 – Limpar o histórico de consulta do CPF.

As empresas de proteção ao crédito como SCPC e SERASA guardam o histórico de consulta dos últimos 90 dias. Toda empresa que, porventura, consultar o seu CPF, será listada que alguma empresa consultar o seu CPF. Quando o consumidor tem muitas consultas de crédito, isso pode significar que ele está “atirando para todos os lados” e, assim a pontuação tende a baixar naturalmente. O ideal é não ficar tendo de obter crédito a todo o momento. É possível limpar o histórico de consulta do CPF, basta ir até uma agência da Serasa. A Serasa guarda esse histórico pela segurança do próprio consumidor, pois ele pode acompanhar tudo que está acontecendo com o seu CPF, evitando, com isso, que outra pessoa tente utilizar o seu nome.